28
Fev 09

 

A

penas mais uma noite de lua cheia, uma mera noite de Primavera do ano de 1922. Mas, algo sobrevoava West Drayton Church, uma criatura gigantesca errava sob os túmulos e igreja local.

Vários mortais a observavam, com assombro e temor espelhados no olhar perante a sua extraordinária aparência: era uma negra criatura alada semelhante a um descomunal morcego. Apesar do pânico que apoderava o seu interior, dois agentes da autoridade reuniram um pouco de coragem e iniciaram o encalço a esta criatura. Apercebendo-se da agitação que se iniciara na Terra, a figura soltou um grito fatal, um som agudo e áspero escapou das suas entranhas, paralisando todas as testemunhas. Ao mesmo tempo, alisou as suas imponentes asas e rasgou o céu, desaparecendo perante a limitada visão humana.

O corpo tremia compulsivamente, a voz teimava a soar – estupefactos, paralisados, assustados…assim se encontravam os aldeões.

- É ele! Ah!! Vinte e cinco anos depois a criatura ousa aparecer… Harmondsworth de 1890… - um velho homem clamava as suas conclusões mas ninguém o levava a sério. Afinal tratava-se de um velho, alguém cuja idade fantasiava as vivências, pessoas de século anterior que alimentavam a superstição e a transformavam em realidade. Assim, apesar de este episódio ensombrar os momentos governados pelo subconsciente, todos o ansiavam esquecer e retomar a sua enfadonha rotina. Tudo ia voltando à normalidade.

Já haviam passado algumas semanas. Um novo dia ousava aparecer, uma nova aurora, uma nova aventura. Um homem percorria aquelas ruas, encaminhando-se para um novo dia de trabalho. Apenas dobrou a esquina, algo aparentemente invisível o agarrou e perfurou o seu pescoço. Sentia o sangue abandonar o seu corpo e derramar-se ao longo do chão imundo, sentia o pavimento mais próximo de si, sentia-se desfalecer…Era o fim, a morte…

 

 

Lenda assombrosa de autor desconhecido recriada por LACCAP,

pois quem conta um conto acrescenta-lhe um ponto.

Ilustração de Victoria Francés

 

postado por LACCAP às 14:19

comentário:
O vosso trabalho está muito interessante e cruza saberes, horizontes, conhecimentos e des-conhecimentos vários: do mito, à religião, desembocando na ciência. Inevitavelmente sinto o pulsar, sub-reptício, da filosofia. Pois todo o trabalho exige árdua reflexão.
Felizmente, o ser humano não se reduz à razão: é sensibilidade. E, munido, das duas esferas desenvolve uma sensibilidade refinada, rebuscada. Justamente a que descobri neste vosso projecto.

Elsa Cerqueira
(ex-professora de Filosofia)
elsacerqueira a 2 de Março de 2009 às 22:19

Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27


Somewhere Over the rainbow


pesquisar neste blog
 
Na gaveta!!
links